Mitos e verdades do gerenciamento Ágil

Atualizado: 29 de jan. de 2021

Gerenciamento ágil é um dos trend topics da nova era, e com tanta empresa aplicando e testando os conceitos por trás da gestão ágil é comum que surjam alguns mitos sobre o tema. Hoje vamos falar de alguns mitos e verdades que os praticantes do gerenciamento ágil vão encontrar pelo caminho, e como desvenda-los.





Não tem documentação.

É muito comum encontrar algum entusiasta dizendo que gerenciamento ágil não possui documentação. É preciso lembrar do manifesto ágil “ Nós valorizamos mais o Software funcionado, mais do que uma documentação abrangente”, embora que “não é porque preferimos o valor no primeiro, que não enxergamos valor no segundo”.

A antiga máxima continua válida, se você não documenta você não aprende, e se você não aprende irá inevitavelmente cometer o mesmo erro no futuro. De fato durante reuniões de Sprint Review e de Project Restrospect é comum que o Scrum Master adote a postura de “escriba” documentando os pontos mais importantes que foram citados, e decisões importantes que o time tomou.


Também é comum pensar-se que em gerenciamento ágil não há cronograma, porque cronograma lembra Gant Chart, e Gant Chart lembra Waterfall, e waterfall é inimigo do Ágil. A verdade é que algumas metodologias como o Scrum separam um processo apenas para planejar um “cronograma de lançamento”. Esse processo é fundamental pois dá uma ideia boa de quando as funcionalidades requeridas pelo usuário estarão enfim disponíveis.


Não se sabe quanto tempo o projeto vai durar.

Verdade, porém isso não significa que o não há deadline no gerenciamento ágil. Devemos lembrar que nas método ágil o desconhecido é bem vindo, e não tentamos prever aquilo que desconhecemos, por isso durante o primeiro sprint não temos ideia de quanto tempo o projeto vai durar. Mas a incerteza dura somente enquanto o primeiro sprint durar. Assim que soubermos a capacidade produtiva do time (quantos pontos de estória trabalhamos por sprint) conseguimos com uma regra de 3 básica prever o fim do projeto.


Não se mede o desempenho do time.

É bem comum ouvir de críticos o método ágil não oferece ferramentas de medição de desempenho, e que por isso deixa muitas pontas soltas. A verdade é que os métodos ágeis conseguem unir uma lógica analítica, à complexidade do pensamento cognitivo, assim mesmo problemas complexos são quebrados em pequenos incrementos que quando trabalhados sobre o método ágil, fornecem uma noção ótima ao projetista do desempenho do time. Métricas comuns no gerenciamento ágil são: lead time, cycle time, SPI e diagrama de fluxo cumulativo são ótimas ferramentas para se medir o desempenho da equipe.


Essas são alguns dos mitos e verdades mais difundidos do gerenciamento ágil, exploramos outros durante os treinamentos e certificações em scrum. E você lembrou de algum outro?

36 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo