top of page

Design Thinking na AEC

Durante boa todo o século XX o pensamento reducionista dominou nossa sociedade consequentemente a forma como lidamos com nossos projetos. Porém com o avanço da informática, e a democratização de diversos conceitos culturais e sociais, a sociedade começa a se valer do estudo da complexidade, a qual provavelmente será a ciência do século XXI. Ou seja: paramos de observar o mundo com mera generalizações e passamos a enxerga-lo da forma complexa como ele realmente é. É dentro dessa ideia que surge o Design Thinking



No século XXI a complexidade começa a estar mais presente na arquitetura.

Design Thinking é um assunto extenso, do qual podemos falar por algumas horas, mas sua aplicação é relativamente simples e informal, o objetivo desse texto é fornecer uma ideia de como Engenheiros Civis e Arquitetos podem aplicar a abordagem do Design Thinking em seus projetos.


Podemos dizer que o Design Thinking está separado em 7 etapas.

  1. Comprender

  2. Observar

  3. Definir

  4. Idealizar

  5. Prototipar

  6. Testar

  7. Implementar.

Por sua vez, essas 7 etapas fazem parte de 4 processos.

  1. Experiência do usuário - User Experience-UX

  2. Criatividade

  3. Seleção

  4. Desenho e Execução.

Aqui é interessante fazer uma distinção entre etapas e processos. Etapas são períodos finitos de realização de tarefas. Já processos são atividades cíclicas, on-goings. E o que isso quer dizer? Quer dizer que em cada um desses processos, pode ser repetido mais de uma vez, a fim de obter o resultado esperado.



Processos e Etapas do Design Thinking

E como funciona isso na EAC?


Fazendo uma tradução livre, Design Thinking é o “Pensamento do projetista”, e embora isso não seja ensinado em todas as escolas de engenharia do país a abordagem que segue é um desdobramento lógico do pensamento de projetar.


EXPERIÊNCIA DO USUÁRIO


Compreender: Design Thinking é uma abordagem voltado ao usuário, portanto nessa etapa deve-se buscar entender o lado do usuário, qual sua relação com o projeto, como ele pretende utilizar o ambiente? Para os arquitetos isso é mais natural, porém também é dever do engenheiro a preocupação com o usuário. Qual a finalidade da edificação? Se é uma edificação comercial pode ser mais interessante terminar a obra mais cedo para começar a explorar o negócio, dando preferência a estruturas mais industrializadas. Se é uma habitação, é interessante esconder os elementos estruturais, ou fazer co que eles sejam parte da arquitetura do ambiente e por ai vai…


Observar: muitos estudiosos colocam observar e compreender como uma mesma etapa, chamada de Empatia, alguns acrescentam também a etapa de “Participação" que é mais voltada para processos de T.I ou de produção. Na área de AEC observação pode ser entendida em como as relações se desenvolvem. É tomar notas do comportamento dos usuários, das atividades que serão desenvolvidas. Porém essa é uma etapa sem influência direta do usuário, baseada muito mais na experiência de resolver problemas do projetista do que nas opiniões do usuário.


Certa vez dimensionando um laboratório me dei conta que os Técnicos que iriam utilizar o laboratório não faziam a mínima ideia de como eram desenvolvidas as atividades, eles não possuíam procedimentos de utilização